Cuiabá - MT | Quarta-Feira, 28 de Julho de 2021

“O MDB não pertence a uma voz individual”, diz Zito Adrien ao rebater falada de deputada 

“O MDB não pertence a uma voz individual”, diz Zito Adrien ao rebater falada de deputada 

 

Ao contrário da declaração dada pela deputada estadual Janaina Riva, o secretário de Planejamento de Cuiabá e militante tradicional do MDB, Zito Adrien, afirmou que a sigla ainda não bateu o martelo sobre seu posicionamento na próxima eleição para o governo do Estado de Mato Grosso. Segundo ele, o único acordo existente internamente é o de que uma decisão sobre esse assunto somente será tomada no próximo ano.

Para Zito, mais uma vez a parlamentar se precipitou ao colocar-se como porta-voz oficial do partido e, de forma autocrática, declarar apoio incondicionalmente à provável candidatura do atual governador Mauro Mendes. De acordo com ele, é democraticamente garantido à deputada o direito de expressar sua opinião. Todavia, isso não pode ser colocado como uma verdade absoluta dentro de um partido plural como o MDB.

“O MDB não pertence a uma voz individual. É um partido formado por várias vozes e que tem por tradição histórica respeitar e ouvir cada uma delas. Essa é a essência do Movimento Democrático Brasileiro e deve ser preservada por seus membros. No entanto, o que temos visto é uma tentativa rasa da deputada de sobrepor isso, que a todo custo tenta colocar um desejo seu como uma decisão do partido”, disse.

Ligado ao grupo de apoio ao prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro, Zito está entre aqueles que defendem que o MDB faça valer sua característica de protagonista na próxima eleição. Nesse sentido, ele afirma que não consegue ver isso acontecendo com uma permanência na base de apoio a Mauro Mendes. O emedebista avalia que, atualmente, a sigla tem fugido de sua veia popular ao se manter conectado com uma gestão palaciana e monocrática.

Apesar do prefeito Emanuel Pinheiro ainda não ter cravado sua candidatura e, por diversas vezes ter afirmado que isso só deve ocorrer com a devida aprovação da população, Zito defende que o nome do chefe do Executivo municipal seja sim colocado na disputa. Conforme ele, Emanuel possui uma grande oportunidade de quebrar o mito de que a Capital seria abandonada após sua eleição a governador.

“Primeiro precisamos deixar claro que Cuiabá está abandonada pelo Estado há pelo menos cinco anos. O crescimento que a cidade vem conquistando é graças exclusivamente ao governo municipal e isso tem sido aprovado por pelo menos 80% da população, como demonstrado na última pesquisa. Outro ponto é que Emanuel possui um vice [Stopa], que está em total sintonia com sua paixão por Cuiabá. Ou seja, o que vejo é uma grande oportunidade de romper um paradigma e, finalmente, fazer com que Cuiabá receba a atenção que merece”, defende.

Por fim, Zito voltou a destacar que a posição de submissão em relação ao governo do Estado foge do DNA de liderança construído ao longo da história do MDB.

“O que existe hoje é uma posição de subserviência, a troco de interesses políticos individuais. É claro para todos que o modelo de gestão praticado no Estado é desconectado das ruas, do povo e da realidade dos Municípios. Existe, inexplicavelmente, esse apoio a um governo que se vangloria por estar no azul, mas com Municípios no vermelho, com servidores e aposentados desprestigiados”, relata.