Cuiabá - MT | Sexta-Feira, 07 de Maio de 2021

Mais que dar o peixe, ensinar a pescar

Mais que dar o peixe, ensinar a pescar

A pandemia do novo coronavírus colocou em cheque a economia global e como esperado as pessoas de menor poder aquisitivo foram as mais afetadas pela crise. O governo federal até criou medidas para diminuir esse impacto e aliviar a crise, como o auxilio emergencial, por exemplo. O benefício socorreu famílias que perderam renda durante a pandemia até dezembro de 2020 e voltou agora em abril com seu do valor diminuído, este evitou relativamente, que a fome faça parte da vida de mais brasileiros.

Leia Também:

– 2021 pode e deve ser melhor

– Humanização das entidades

– Nova oportunidade

– A importância da comunicação na sua vida

-A velha política se fortalece

-Começo do fim

-Calçados podem sofrer taxação de até 80% em MT

-Liberdade para empreender

-Liberdade Disruptiva

Quem também precisou de um “socorro” para se manter de pé foram as empresas, que com por conta das medidas de distanciamento e pelo fechamento obrigatório  das consideradas serviços não essenciais, passaram a conviver com a possibilidade de encerrar suas atividades, o que aconteceu com muitas e consequentemente a demissão dos seus colaboradores. O Pronampe, que infelizmente não chegou para todas as empresas, permitiu que alguns empresários e empreendedores conseguissem um alento durante a crise e pudesse equilibrar as contas, evitando momentaneamente a morte de seus negócios.

Olhar para os que mais precisam e passam por necessidades deve ser prioridade daqueles que foram eleitos para “cuidar” da população, transferência de renda ajuda indivíduos que vivem abaixo da linha da miséria e os insere socialmente ao permitir que se tornem consumidores no mercado. E neste momento de crise, toda e qualquer ajuda é bem vinda, e mais uma vez, os empresários se movimentaram e criaram meios para auxiliar os que precisam.

Mas ainda assim poderia surgir aquele velho debate: “é melhor darmos o peixe ou ensinar a pescar?” Foi com esse questionamento em mente que a Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá, idealizou o projeto “Despertar”, que é liderado pelo CDL Social. Dentro das ações intituladas “Corrente do Bem”, o projeto preocupa-se tanto com o lado social quanto com a capacitação das pessoas, o projeto oferece a oportunidade para que trabalhadores em vulnerabilidade econômica sejam orientados e capacitados para o emprego e assim para uma situação financeira mais confortável e independente.

O projeto oferece preparação para pessoas desempregadas, subsidiando-as com informações e conhecimentos que possam influenciar positivamente na busca de oportunidades no mercado de trabalho. Além da disponibilização de cursos online e auxílios para inscrições em vagas de emprego. Ao final do módulo, cada participante receberá uma cesta básica para auxiliar nas necessidades da família em decorrência da sua atual situação e da crise potencializada pela pandemia.

A meta inicial é atender duas mil pessoas que estão desempregadas e foram afetadas durante a pandemia. O objetivo além de entregar a cesta básica, que propicia uma solução paliativa, mas oferecer ferramentas para que essa pessoa se recoloque no mercado de trabalho e possa com seu próprio esforço prover para sua família.

Dar ferramentas e condições a quem precisa prova que o mercado confia e acredita no potencial das pessoas. Oferecer a oportunidade para que o cidadão conquiste seus objetivos é possível e já se provou ser a forma mais eficiente de alcançar o objetivo comum, a independência financeira e a liberdade de ir e vir.

*JÚNIOR VITAMINA MACAGNAM  é empresário, vice-presidente institucional da CDL Cuiabá; diretor  Sindicato do Comércio Varejista de Calçados e Couros do Estado de Mato Grosso (Sincalco/MT) e filiado ao Partido Novo.

CONTATO:           www.facebook.com/juniormacagnam/