Cuiabá - MT | Domingo, 16 de Maio de 2021

Flávio Frical lamenta 400 mortos por Covid em Várzea Grande e cobra prefeita

Flávio Frical lamenta 400 mortos por Covid em Várzea Grande e cobra prefeita

“Há algo de muito errado na condução do combate e prevenção ao Covid no Município de Várzea Grande. Hoje (31/08) chegamos a 400 vítimas desta doença. Pior que a curva da doença em Várzea Grande continua subindo, enquanto no Estado está estável. Isso significa má Administração municipal. Estamos falando de vidas humanas, não podemos deixar assim”, disse Flávio Frical ao verificar os dados da Secretaria de Saúde de Mato Grosso.

Num comparativo estatístico, Cuiabá (612.547) possui quase 330 mil habitantes a mais que Várzea Grande (284.971), mas os índices de mortalidade, são menores. O pré-candidato do PSB citou que são de 1,265 para a Capital e 1,404 para Várzea Grande, a taxa de letalidade. Nesta última também é bem mais alta: atinge os 5,72%, enquanto na Capital é menor, de 4,21%.

Flávio Frical pontuou que os números de Várzea Grande destoam de todos os números de Mato Grosso, puxando o Estado para baixo nas estatísticas. Na mortalidade, por exemplo, Várzea Grande está atrás, apenas de municípios como Porto Esperidião (1.914), São Pedro da Cipa, Nova Santa Helena e Gaúcha do Norte.

Na taxa mortalidade, Várzea Grande ocupa a décima primeira colocação. Porém, entre os municípios com mais de 100 mil habitantes,  é o primeiro, com 5,65%, enquanto a média de Mato Grosso é de 3,01%. É uma realidade diferente do Estado.

“Estamos em meio a uma pandemia e pouquíssimo foi feito pelo Poder Público Municipal de Várzea Grande. Ter pessoas experientes e qualificadas em cada área é essencial para termos sucesso”, citou o pré-candidato do PSB.

Num contexto amplo, Flávio Frical avalia que o resultado final será muito pior. “Só pensaram em política e não no povo. Mataram a economia e muita gente está morrendo também. Por faixa etária, temos mais de 50% de vítimas com idades entre 30 e 50 anos. É uma faixa de produtividade, isso vai atingir ainda mais nossa economia e em minha opinião está acontecendo porque  não houve interatividade entre as Prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande. Uma abria, a outra fechava! E fizeram isso em momentos errados”, sintetizou o pré-candidato do PSB.

O PSB apurou que a  prefeita Lucimar Campos (DEM) recebeu somente  do Governo Federal R$ 78.616.749,61 (Fonte: Senado Federal). “Mas a verba total é muito maior. Ao invés de assumir a responsabilidade, jogou para o Estado e para Cuiabá. A cidade do prefeito do paletó… deu no que deu!”, lamentou ele.

“Dados da Secretaria Municipal de Saúde da Capital mostram que mais de dois mil moradores de nossa cidade foram procurar atendimento lá. O governo do Estado montou 200 leitos no Hospital Metropolitano de Várzea Grande. E pacientes daqui, vão para Cuiabá… espero que não estejam colocando o dinheiro pra combater o Covid na campanha do candidato de vocês!!”, provocou Frical Vargas.

O pré-candidato a prefeito pelo PSB entende que houve falha grava no enfrentamento à pandemia Covid-19, na terra de Couto Magalhães. “Volto a perguntar: o que a atual gestão está fazendo sobre este tema? Comprando quites Covid? Porquê muita gente reclamou que não recebeu”, cutucou ele.

 

Flávio Vargas pontuou que Várzea Grande é a quinta cidade com o pior índice de mortalidade. “Entre as maiores cidades, estamos com o pior resultado neste quesito que é muito importante. Estamos falando de vidas”, justificou ele.

“Fizeram politicagem com o novo coronavírus e, além dos erros enormes na administração do problema, aqui temos excelentes profissionais que dariam conta de administrar essa situação terrível que estamos passando. Profissionais da área médica”, argumentou o pré-candidato a prefeito pelo PSB.

Frical lembrou que o Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) advertiu a prefeita Lucimar Campos, sobre a necessidade de transparência na contabilidade. “Além da falta de gestão diante de um problema fatal a nossa população, não temos uma prestação de contas, clara. O próprio TCE cobrou isso da Prefeita. Alguém sabe como se deu o repasse de recursos e onde eles foram aplicados e de que forma?”, avaliou.

Numa comparação com o Frigorífico Frical,  sua empresa, com centenas de funcionários, no combate ao Covid-19, Várzea Grande tem desempenho ainda pior.

“Adotei todos os protocolos internacionais e tivemos pouquíssimos casos na minha empresa. Podem falar: mas é diferente, uma empresa e um município. Mas os princípios de administração são os mesmos. Atitude, proatividade… e existem protocolos a serem seguidos. Não é mágica, nem salvadores da pátria. É meio lógico: se fizermos o que deve ser feito, teremos bons resultados”, emendou Flávio Frical.

Partindo da premissa de que a gestão é que dita o ritmo, Flávio Vargas se comprometeu em melhorar a saúde de Várzea Grande. “Posso melhorar nossa saúde… o Covid-19 continuará e teremos que adotar procedimentos que passarão a ser para o resto de nossas vidas, quem sabe”, complementou Frical.