Cuiabá - MT | Terca-Feira, 11 de Maio de 2021

Polícia Civil apreende várias peças e motocicletas e fecha desmanche de veículos na Capital

Polícia Civil apreende várias peças e motocicletas e fecha desmanche de veículos na Capital


.

Assessoria/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, em ação realizada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá, fechou na tarde de terça-feira (16.06) um local que funcionava como desmanche de veículos na capital. A ação resultou na prisão em flagrante do proprietário da oficina e na apreensão de diversos veículos e peças de origem ilícita

Os policiais da Derf Cuiabá investigavam o furto de uma motocicleta quando receberam informações de que o veículo estaria em posse de um suspeito, proprietário de uma van branca. Com base na denúncia, os investigadores conseguiram identificar o endereço do suspeito no bairro Barbado em Cuiabá.

Em diligências no local, os policiais perceberam que o endereço era utilizado para desmanche e comercialização de peças de motocicletas. Além de vários veículos e peças de origem ilícita, também foi encontrada no local, a motocicleta que deu origem a investigação, já desmontada.

Questionado sobre a origem dos veículos e demais peças de motocicletas (como motores, carenagens), o dono do estabelecimento não soube explicar a origem. Em checagem no sistema, foi verificado através das placas e chassis que os veículos que estavam no local são procedentes de crimes patrimoniais (roubos e furtos).

Segundo o delegado que coordenou a operação, Rodrigo Azem Buchdid, o suspeito tentou oferecer vantagens aos policiais para não ser preso, atuando também no crime de corrupção ativa. “No endereço funcionava um verdadeiro desmanche e local para adulteração de veículos, chegando o suspeito a oferecer dinheiro aos policiais para não ser preso e não ter o seu negócio fechado”, disse o delegado.

Diante das evidências, todo o material foi apreendido e o suspeito encaminhado à Derf de Cuiabá, onde após ser interrogado, foi autuado em flagrante pelos crimes de receptação qualificada, adulteração de sinal identificador de veículos e corrupção ativa.

 

Fonte: PJC MT