Cuiabá - MT | Terca-Feira, 11 de Maio de 2021

Ulysses Moraes reitera alerta sobre gasto indevido com aquisição de papel higiênico em Rondonópolis

Ulysses Moraes reitera alerta sobre gasto indevido com aquisição de papel higiênico em Rondonópolis


.

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

A Polícia Civil cumpriu hoje, mandatos e afastou a secretária de Saúde de Rondonópolis e outra servidora por superfaturamento de materiais para o combate à Covid-19 no município. E o deputado Ulysses Moraes já havia feito essa denúncia, em relação ao gasto superior a R$ 700 mil com papel higiênico e papel toalha, utilizando a dispensa de licitação feita por essa Secretaria. O parlamentar fez esse alerta em abril cobrando mais fiscalizações com uso dos recursos públicos para aquisição de materiais a serem utilizados no período de crise do coronavírus em Mato Grosso.

“Eu já tinha avisado sobre essa situação. Foram quase R$ 1 milhão em papel higiênico com dispensa de licitação, isso é inacreditável. É uma vergonha que os gestores utilizem essa pandemia para fazer uma devassa com dinheiro público”, disse Moraes.

A operação da Polícia foi deflagrada na manhã desta terça-feira (15), por meio da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor) e da Delegacia Regional, pelo Ministério Público Estadual e Ministério Público de Contas. A secretária de saúde, Izalba Diva foi afastada da sua função, assim como outra servidora. E além disso, foram autorizadas buscas e apreensões nos endereços residenciais das investigadas, nas dependências da Prefeitura e nos endereços das empresas.

“O MPE está fazendo uma excelente investigação.  Houve ainda suspensão de pagamentos as fornecedoras dos produtos. Não seria possível que em 90 dias, o município de Rondonópolis gastasse mais papel higiênico do que em todo ano de 2019” afirmou o parlamentar.

O CASO

A Secretaria Municipal de Saúde de Rondonópolis fez uma aquisição desses produtos para higienização de ambientes hospitalares no último dia 23 de março. A compra não teve licitação, por ter sido feita em regime de urgência com a justificativa do Covid-19 na cidade. O valor de R$715.870 foi gasto com papel higiênico e papel toalha.

Deste total, R$ 408 mil seria para papel toalha e R$ 307.870 seria para aquisição de papel higiênico. Esse valor resultaria em 204 mil rolos de papel higiênico, o que dá 2266 rolos por dia.

Em abril, o deputado Ulysses Moraes utilizou suas redes sociais para alertar a situação e encaminhou essa denúncia ao MPE no início de maio.

Fonte: ALMT