Cuiabá - MT | Domingo, 16 de Maio de 2021

Prefeitura veta treinos presenciais em Campinas e adia volta do Paulistão

Prefeitura veta treinos presenciais em Campinas e adia volta do Paulistão

Prefeito esteve reunido com presidentes de Guarani e Ponte Preta

Em pronunciamento realizado nesta segunda-feira, o prefeito Jonas Donizette (PSB) vetou o retorno dos treinos presenciais na cidade de Campinas. Ele pediu uma semana para analisar a situação antes de retomar conversa com Ponte Preta e Guarani.

A decisão de Jonas Donizete foi à contramão das demais prefeituras do interior de São Paulo. Araraquara, Novo Horizonte e Limeira foram algumas das cidades que liberaram os treinos presenciais. O Red Bull Bragantino, que treina em Jarinu, já vinha fazendo as atividades.

Com o veto, a Federação Paulista de Futebol (FPF) deve retardar novamente o reinício do Campeonato Paulista. A previsão é para o final de julho. A entidade aguarda ainda um pronunciamento da prefeitura de São Paulo, que ocorrerá nesta terça-feira.

VETO
A expectativa dos clubes de Campinas era receber resposta positiva para retomar os trabalhos no município, além de iniciar/avançar na bateria de testes do Covid-19 – Guarani, aliás, já realizou a testagem do elenco, comissão técnica e estafe no PCR-RT na última terça, enquanto a Ponte Preta ainda não deu o primeiro passo neste sentido.

“Essa semana não é para fazer qualquer alteração para abertura. Tivemos uma semana passada difícil, lidando com todas essa questões, movimento intenso no centro. Então, eu tomei a decisão, conversando com a Vigilância Sanitária, que responderemos aos questionamentos dos clubes a partir da outra semana”, falou Jonas Donizette.

Enquanto não houver uma definição pelo poder público, Ponte e Guarani seguem os trabalhos em home office e por videoconferência.

CORONAVÍRUS
De acordo com boletim epidemiológico de Campinas nesta segunda-feira, o número de óbitos no município saltou para 149, além de 3.988 casos confirmados. Um ponto que pesa contra os times é a altíssima ocupação – quase 100% – dos leitos nas UTI’s. (Futebol Interior)