Cuiabá - MT | Sexta-Feira, 07 de Maio de 2021

Fred recorda “não” ao Flamengo em 2017 e afirma: “Mancharia a minha trajetória no Flu”

Fred recorda “não” ao Flamengo em 2017 e afirma: “Mancharia a minha trajetória no Flu”

Fred tem 288 jogos, 172 gols, dois títulos brasileiros e um carioca com a camisa do Fluminense — Foto: Lucas Merçon / FFC

De volta ao Fluminense, Fred quase voltou ao Rio de Janeiro no fim de 2017 para vestir uma camisa diferente. Quando deixou o Atlético-MG, o atacante recebeu proposta do FlamengoEm entrevista exclusiva ao Esporte Espetacular, a primeira desde que seu retorno ao Tricolor foi confirmado, Fred relembrou a situação e afirmou que não poderia manchar sua história no Fluminense indo para o maior rival – apesar do parecer positivo de seu staff.

– O Flamengo e o Cruzeiro fizeram propostas, mas foram diferentes. O Flamengo fez proposta via Atlético-MG e iriam ceder jogadores por empréstimo além da parte financeira. Eu não me envolvia muito nas coisas. Quem trabalha comigo sempre via o Flamengo como uma grande vitrine. O clube ainda estava em um período sem ganhar muitas coisas, mas me falavam que o clube voltaria a vencer em breve, que iria atingir um patamar bom pelo trabalho que vinha sendo realizado.

“Mercadologicamente falando, em termos de projeção de carreira, todos viam o Flamengo como uma grande porta. E realmente é, não tem como negar. Mas quando meus representantes chegaram até a mim com essa informação, ficou praticamente inviável porque eu demonstrei o que acontecia dentro do meu coração. Mancharia toda minha trajetória no Flu”, disse.

Fred fez seis gols em 14 clássicos pelo Fluminense contra o Flamengo — Foto: Fernando Soutello / Agência estado

Fred fez seis gols em 14 clássicos pelo Fluminense contra o Flamengo — Foto: Fernando Soutello / Agência estado

Fred optou pelo Cruzeiro naquela ocasião e trocou de rival de qualquer forma. Mas ele sabe que uma mudança de lado na dupla Fla-Flu seria muito mais traumática por toda a história que escreveu com a camisa do Fluminense entre 2009 e 2016, com 288 jogos, 172 gols, dois títulos brasileiros e um carioca.

– A gente vê muitos trocando de rival assim, eu fiz isso aqui em Minas. Comecei no Cruzeiro, saí, passei pelo Atlético-MG e depois fui direto para o Cruzeiro de novo. Fica uma cicatriz muito grande no torcedor. Não julgo quem faz, inclusive eu fiz. Não dá para falar se é certo ou errado, mas depende muito de cada um, do momento, do que já viveu.

“Não tem como eu jogar no lixo o que aconteceu comigo depois da Copa do Mundo de 2014. Aquilo ali vai além do futebol, né? Mexeu com minha família inteira. Quando eu vi aquela torcida me abraçando, segurando a bronca” (lembre no vídeo abaixo).

– Eu estava praticamente descartado por todo mundo, ninguém queria me ver pela frente depois daquela Copa e a torcida me colocou no colo. Ali recuperei minha vida total, eu estava quase abalado para tudo, sem querer jogar bola. Se não fosse essa galera ai, para segurar a bronca, a diretoria, acho que eu ia tomar um rumo muito diferente para minha carreira”.  (Globo Esporte)