Cuiabá - MT | Sábado, 23 de Outubro de 2021

Doria prorroga quarentena em São Paulo e volta a alfinetar Bolsonaro

Doria prorroga quarentena em São Paulo e volta a alfinetar Bolsonaro


source
Doria anunciou que medidas de confinamento seguirão até o final de abril arrow-options
undefined

Doria anunciou que medidas de confinamento seguirão até o final de abril

Doria anunciou em coletiva nesta segunda-feira (6) a prorrogação da quarentena em todos os municípios do estado de São Paulo até o dia 22 de abril. O governador voltou a enfatizar que as medidas anunciadas em São Paulo são amparadas pela ciência e pela medicina, e criticou indiretamente quem defende o fim das medidas de isolamento.

“Àqueles que incentivam a vida normal, àqueles que pressionam o prefeito Bruno Covas, àqueles que me pressionam por whatsapp, telefonemas e por cartas para que possamos agir contra os nossos princípios e contra os princípios da medicina, pergunto: vocês estão preparados para assinar o atestado de óbito dos brasileiros? Vocês estão preparados para carregarem os caixões com as vítimas do coronavírus? (…) Nós vamos proteger vidas. Depois de salvar vidas, salvaremos a economia”, disparou.

Inicialmente, o decreto estadual assinado no dia 24 de março previa a medida de contenção pelo período de quinze dias, ou seja, até a próxima terça-feira (7). O decreto faz com que comércios e estabelecimentos não considerados essenciais permaneçam fechados nos 645 municípios até 22 de abril.

Veja também: Após relaxar quarentena, governador do Ceará volta atrás e mantém isolamento

Podem continuar funcionando normalmente os serviços de saúde, segurança, bancos, supermercados e limpeza, por exemplo. Já bares, restaurantes, cafés e lanchonetes precisaram fechar suas portas.

Leia mais: Datafolha: 76% consideram importante ficar em casa para combater a covid-19

O governador ainda fez apelo aos empresários, pedindo para que não demitam seus funcionários neste momento de crise.

“Os colaboreadores esperam isso de vocês. Exerçam sua responsabilidade social e p lado humintario. Lembrem-se de suas famílias. O sofrimento é de todos, mas principalmente de quem depende do salario para sobreviver”, afirmou.

Em atualização