Cuiabá - MT | Sábado, 23 de Outubro de 2021

Coronavírus pode ser preocupação para as Olimpíadas mesmo em 2021

Coronavírus pode ser preocupação para as Olimpíadas mesmo em 2021

Olimpíadas Tóquio foram adiadas por conta da pandemia de coronavírus — Foto: REUTERS/Athit Perawongmetha

Apesar do longo período até as novas datas das Olimpíadas de Tóquio, anunciadas nesta segunda-feira, ainda não se tem até o momento uma previsão concreta sobre a chance da pandemia global de coronavírus ter sido controlada até a metade do ano que vem. Adiados justamente por causa do grave problema, os Jogos acontecerão entre 23 de julho e 8 de agosto de 2021.

– Ainda não se sabe se as infecções por Covid-19, a doença respiratória causada pelo novo coronavírus, podem ser drasticamente reduzidas no próximo verão (no Hemisfério Norte), mas se prevê que o ritmo da propagação desacelere – afirmou o diretor da Associação de Doenças Infecciosas do Japão, Kazuhiro Tateda, à agência de notícias japonesa Kyodo.

CEO do Comitê Organizador dos Jogos de Tóquio, Toshiro Muto segue a linha do especialista japonês, mas nutre a esperança de que a medicina possa achar soluções para acabar com a pandemia o quanto antes.

– Se me perguntarem se o coronavírus estará instalado no verão do ano que vem, não posso dizer se vai estar absolutamente tudo bem. Mas se algo assim acontecer, não apenas o Japão, mas também o resto do mundo estará em uma situação devastadora. Eu prevejo que as pessoas inventem novos medicamentos, se for o caso – comentou Muto durante conferência de imprensa, nesta segunda.

Presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Tomas Bach está mais animado em relação ao controle da pandemia até a metade de 2021.

– As Olimpíadas poderão ser a celebração da humanidade depois de superar o desafio sem precedentes do coronavírus – disse Bach, em nota da entidade.

Atletas j́á estão começando a manifestar os seus receios, como o atual campeão paralímpico do arremesso de peso na categoria F41, o alemão Niko Kappel.

– É necessário encontrar uma vacina contra o vírus, o que deveria ser um requisito (para a realização dos Jogos). Acho que ele não desaparecerá por conta própria – afirmou o medalhista de ouro nas Paralimpíadas do Rio 2016.

As Olimpíadas e Paralimpíadas de Tóquio 2020 foram oficialmente adiadas pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) no dia 24 de março por causa da pandemia de coronavírus. A decisão foi tomada após uma teleconferência entre Thomas Bach, presidente do COI, e Shinzo Abe, Primeiro-Ministro do Japão, para resguardar a segurança de atletas, técnicos e de todos que participariam diretamente ou indiretamente das competições.

Em sua 32ª edição, a previsão era de que 11 mil atletas, de pelo menos 204 países, disputassem os Jogos, distribuídos por 33 esportes. Se não bastasse esse contingente de pessoas, o COI e o Comitê Organizador do Japão tinha por estimativa que as provas recebessem até cinco milhões de espectadores de todo o mundo, nos 43 locais de disputas. (Globo Esporte)