Cuiabá - MT | Segunda-Feira, 27 de Setembro de 2021

Grupo ameaça jogadores do Cruzeiro de morte em caso de rebaixamento

Grupo ameaça jogadores do Cruzeiro de morte em caso de rebaixamento

Em um vídeo que circula entre os torcedores, um grupo de cruzeirenses faz uma abordagem ao presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, na saída do clube poliesportivo do Barro Preto. É possível ouvir dois torcedores, que se revezavam na conversa, criticar a postura de alguns jogadores, como Thiago Neves e Fred, contestar a demissão de Rogério Ceni e a contratação de Abel Braga, e aprovar a chegada de Adilson Batista. Até aí, tudo bem. No entanto, uma grave ameaça de morte a jogadores, caso o time não se livre do inédito rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro, é feita.

– Pelo amor de Deus, não deixa isso acontecer, não! Mas se esse Thiago Neves continuar fazendo isso, vai ter… Você já ouviu falar no futebol brasileiro que teve morte de jogador porque time foi rebaixado? Nunca, né?! Vai acabar acontecendo isso…

– Tem umas coisas que a gente não entende. Os caras jogaram bola, até no início do ano era o melhor time. de repente, pararam de jogar bola – comenta o dirigente, que ouve de um dos componentes do grupo:

– Nós é o seguinte, nós é torcida (sic). Do mesmo jeito que a gente pega atleticano de porrada, briga no Brasil inteiro, nós vamos começar a brigar com jogador.

– Aqui, nós queremos pegar os jogadores mesmo! Isso que eles estão fazendo com a gente é covardia.

– Aquilo ali (sobre o pênalti chutado para fora por Thiago Neves na derrota de 1 a 0 para o CSA, na quinta-feira, no Mineirão) foi por querer que ele fez, rapaz! Fala com eles “ô gente, vocês estão achando que é só futebol, tem muito nêgo (sic) envolvido… Isso aqui, ó (mostra alguma coisa)… Isso aqui é pedrada na cara! Por defender a honra do nosso time.

– Estamos conversando com você na boa. A gente sofre para car****, a história nossa é grande, rapaz!

Wagner Pires, então, fala sobre a chegada de Adilson Batista, que substituiu Abel Braga no comando cruzeirense. O novo treinador foi apresentado na sexta-feira.

– Hoje (sexta-feira) nós apresentamos lá o Adilson… – quando um torcedor interrompe.

– Ô, velho, o Adilson que tinha que ter vindo, para mim, desde o início, que é o cara que jogou no Cruzeiro e foi bem. Se o cara (Abel Braga) não conseguiu colocar Arrascaeta e Gabigol para jogar, vai jogar David?

Em seguida, o presidente do Cruzeiro diz que o erro foi ter demitido Rogério Ceni, que trabalhou apenas por 45 dias no clube:

– O problema é o seguinte: quando nós trouxemos o Ceni, se o Ceni tivesse ficado, nós não estávamos nessa situação.

Quando um dos torcedores concorda com Wagner e critica o meia Thiago Neves.

– Tava não , com certeza. Mas deixaram esses caras aí mandar… Esse Thiago neves é uma praga!

Wagner Pires de Sá durante apresentação de Adilson Batista na sexta-feira na Toca — Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Wagner Pires de Sá durante apresentação de Adilson Batista na sexta-feira na Toca — Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

– Se não colocar esse Thiago Neves, e tirar o Fred. Fred é igual carro velho, só serve para garagem. Mas é isso aí, Deus abençoa aí. Mas fala com eles (jogadores), se cair, vai acontecer grave, vai dar coisa ruim, vai dar coisa ruim…

Wagner, então, afirma:

– Vou dar uma prensa neles!

Pedido de apoio

Procurado pelo GloboEsporte.com, por telefone, Wagner Pires de Sá minimizou o episódio com o grupo. O presidente do Cruzeiro disse que o vídeo foi editado, e apenas parte da conversa foi divulgada pelo grupo, e que ele, Wagner, pediu para que houvesse apoio aos jogadores.

– Aquilo é porque eles pegam parte da conversa. Quando você coloca um vídeo, você faz (a edição) da maneira que você quiser. Na verdade, estamos passando por uma situação muito difícil, precisamos dos nossos jogadores, precisamos apoiar os nossos jogadores. Foi o que falei com eles no final, porque eles atacaram, fizeram ameaça de morte aos jogadores, mas não é por aí. Temos que incentivar. Aparecem essas coisas, viraliza, mas não tem nada a ver – disse o dirigente, que também explicou a opinião dada sobre a saída de Rogério Ceni. (Globo Esporte)