Cuiabá - MT | Segunda-Feira, 20 de Setembro de 2021

Casal é preso acusado de matar jovem e jogar corpo uma altura superior a 17 metros metros

Casal é preso acusado de matar jovem e jogar corpo uma altura superior a 17 metros metros

Um casal responsável pelo homicídio de um jovem em Barra do Garças (512 quilômetros a Leste de Cuiabá) foi preso nesta terça-feira (26) pela Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso. A ação coordenada pela 1ª Delegacia do município, em  cumprimento a dois mandados de prisão e um mandado de busca e apreensão domiciliar, expedidos pela Comarca de Barra do Garças.

O suspeito F.L.S. de 43 anos e sua companheira M.A.F. de 29 anos, tiveram as ordens judiciais de prisão decretadas pelo Poder Judiciário de Mato Grosso, acusados do homicídio e ocultação de cadáver, cometido contra o João Paulo Souza Rosa, 23 anos.

As investigações iniciaram no dia nove de novembro, após registro do desaparecimento do rapaz. Os pais da vítima explicaram à polícia que João Paulo foi visto pela última vez na região das cachoeiras Pé de Serra e da Usina. Três dias depois, o corpo dele foi localizado perto de uma trilha, nas proximidades das cachoeiras, um dos pontos turísticos do Vale do Araguaia, no Leste de Mato Grosso.

O corpo estava em um local de difícil acesso, em uma área de mata, não havendo nenhuma testemunha, o que tornou o crime, inicialmente, difícil de esclarecer, demandando uma investigação complexa, encetada pela Polícia Civil.

Durante as diligências para esclarecimento do homicídio, os policiais da 1ª Delegacia de Polícia de Barra do Garças  conseguiram identificar o envolvimento de duas pessoas – o casal F.L.S. de 43 anos e M.A.F. de 29 anos.

Ainda segundo apuração da Polícia Civil, o que motivou o crime foi vingança por questão passional (a vítima apenas conhecia a suspeita M.A.F.).

Os autores planejaram uma “emboscada” para executar a vítima. Para tanto, M.A.F. marcou um encontro com João Paulo, para que ele fosse até um local previamente escolhido, onde foi simulado um roubo.

A vítima foi morta por asfixia, após um golpe conhecido como “mata leão”. Em seguida, com a intenção de ocultar o corpo e simular um acidente, os suspeitos jogaram o corpo do jovem em um local de difícil acesso, a uma altura superior a 17 metros.

O delegado Heródoto Fontenele, que coordenou as investigações,   mesmo com a complexidade do caso e com o fato dos criminosos terem planejado todas as suas ações previamente, tentando impedir o esclarecimento do crime, inclusive tentando fazer parecer acidente ou sucídio, o homicídio foi devidamente esclarecido pela Polícia Judiciária Civil.

“Com base nos indícios e provas foi representado pelas prisões dos acusados, bem como pela busca e apreensão domiciliar, prontamente ratificado pelo Ministério Público e deferidos pela Justiça”, disse o delegado Fontenele.

Os policiais civis deram cumprimento aos mandados, efetuando a prisão do casal e procedendo com as buscas no endereço dos suspeitos.

Conduzidos para 1ª Delegacia de Polícia de Barra do Garças, ambos foram interrogados e confessaram o crime hediondo.

“A 1ª Delegacia de Polícia, no ano de 2018, obteve máxima produtividade na resolução dos crimes de homicídios tentados e consumados, alcançando 100% de resolução. Índice que é buscada em 2019, também”, argumentou o delegado da Polícia Civil.

“A delegacia conta com uma equipe de investigadores e escrivães comprometidos com a missão institucional de assegurar a ordem pública, mediante investigação policial de qualidade, na busca da apuração e repressão de ilícitos penais”, destacou o delegado Heródoto Fontenele.