Cuiabá - MT | Quarta-Feira, 28 de Julho de 2021

Feminicídio: Polícia prende suspeito de matar esposa estrangulada e enterrar em fazenda em MT

Feminicídio: Polícia prende suspeito de matar esposa estrangulada e enterrar em fazenda em MT

O autor de um crime de feminicídio, ocorrido no município de Torixoréu (562 quilômetros ao Sudeste de Cuiabá) foi preso em ação integrada da Polícia Judiciária Civil e Polícia Militar de Mato Grosso. As investigações levaram à descoberta da   ação criminosa, em trabalho realizado pela Delegacia do município com apoio do Núcleo de Inteligência da Regional de Barra do Garças – 514 quilômtros a Leste de Cuiabá.

Antes de ser identificado como autor do crime, o suspeito, Claudecy Nunes, 48, conhecido como “Cláudio”, chegou a comparecer à Delegacia de Polícia Civil de Torixoréu para comunicar o desaparecimento de Soraia Parreira de Monteiro, de 43 anos, sua companheira.

As investigações iniciaram no dia 18 de novembro, quando um dos filhos da vítima acompanhado do suspeito procurou a unidade policial para registrar o boletim de ocorrência de desaparecimento da mãe.

Na ocasião, o filho da vítima disse que estava recebendo mensagens da mãe, através de um número de celular, que não era comumente utilizado por ela. Nas mensagens supostamente enviadas pela vítima, ela relatava que havia arrumado um novo relacionamento e estava em viagem para o estado do Rio de Janeiro.

As mensagens levantavam suspeitas, uma vez que apresentavam erros de grafia e mesmo diante da solicitação de voz, a vítima não encaminhava áudios ou atendia as ligações.

Diante dos fatos as equipes da Polícia Civil e Polícia Militar iniciaram as diligências e realização de entrevistas com o fim de localizar a desaparecida. Com base nos levantamentos, no final da tarde de terça-feira (19), as equipes se deslocaram até a fazenda São Francisco, a aproximadamente 63 km da região central de Torixoréu.

Segundo o delegado regional de Barra do Garças, Adilson Gonçalves de Macedo, que também responde pela Delegacia de Torixoréu, há muitos anos a regional não apresentava registro de homicídio relacionado a violência doméstica.

“O caso foi de grande repercussão, haja vista a dissimulação do suspeito. A confissão foi conseguida apenas após apresentação de todas as provas contra o investigado”, disse o delegado.