Cuiabá - MT | Sexta-Feira, 30 de Julho de 2021

Atlético-MG se impõe no Mineirão e vence o Goiás

Atlético-MG se impõe no Mineirão e vence o Goiás

Michael e Luan em ação no Mineirão (Foto: FERNANDO MORENO/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO)

Pressionado após três jogos sem ganhar, o Atlético-MG se impôs diante do Goiás e venceu por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, pela 31ª rodada da Série A. Na volta ao Mineirão, o Galo foi amplamente superior e só não conseguiu um placar elástico em Belo Horizonte porque o goleiro Tadeu operou alguns milagres. Marquinhos, que fez sua estreia no estádio, abriu o placar, e Bruninho selou a vitória do time mineiro, que volta a subir na tabela e a se afastar da zona de rebaixamento.

Tabela e agenda

O Atlético-MG chega a 39 pontos e vai pulando para a 11ª colocação. O Goiás estaciona nos 42 e continua em nono. O Galo volta a campo no domingo para clássico contra o Cruzeiro, às 16h, no Mineirão. Antes, sábado, o Esmeraldino recebe o Santos no Serra Dourada, às 17h.

Blitz total

O Atlético-MG amassou o Goiás no primeiro tempo, sobretudo nos minutos iniciais. O Galo foi com tudo para cima do time esmeraldino e só não abriu o placar porque Tadeu foi protagonista de grandes defesas. Cazares, Luan, Di Santo, otero, Fábio Sanches… Todos pararam no goleiro da equipe goiana, que praticamente não se arriscou no ataque e só se defendeu. O ritmo foi diminuindo diminuindo aos poucos, mas, mesmo assim, o Galo já merecia ir para o intervalo vencendo.

Menos volume, mais efetividade

O Atlético-MG não voltou para o segundo tempo com o mesmo ímpeto do início da partida e até deixou o Goiás gostar um pouco do jogo. Aos 5 minutos, Léo Sena achou Leandro Barcia nas costas da zaga, e o uruguaio exigiu boa defesa de Cleiton. No entanto, o Galo foi eficiente quando precisou e deu a resposta logo aos 8: Marquinhos recebeu na entrada da área e chutou cruzado para abrir o placar. Com a vantagem, a equipe mineira recuou um pouco, deu campo ao Esmeraldino, mas não correu riscos. Esteve, inclusive, mais perto de ampliar do que sofrer o empate. E foi o que aconteceu. Aos 22, Otero só não marcou porque Tadeu fez milagre. Aos 35, Bruninho recebeu livre, mas a finalização foi desviada e passou rente à trave. Já nos acréscimos, aos 48, Bruninho foi lançado, levou a melhor sobre Rafael Vaz e selou o 2 a 0.

(Globo Esporte)