Cuiabá - MT | Quinta-Feira, 17 de Junho de 2021

Diversos rios de Mato Grosso com locais considerados impróprios para banho

Diversos rios de Mato Grosso com locais considerados impróprios para banho

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema-MT) divulgou nesta sexta-feira (25) um relatório com cinco locais considerados impróprios para banho, no estado. São eles: Comunidade São Gonçalo, em Cuiabá, o Distrito de Bonsucesso, em Várzea Grande, o Rio Paraguai, em Barra do Bugres, e o Córrego Piraputanga (Cachoeira) e a Praia da Carne Seca, ambos em Cáceres.

Os técnicos analisaram 27 locais de recreação, entre os dias 24 de junho a 30 de setembro. Nos locais avaliados como próprios para banho, dez tiveram classificação excelente, cinco, muito boa e sete, satisfatória.

Além da quantidade de bactéria nociva, a Escherichia coli, as águas são consideradas impróprias também se constar incidência elevada ou anormal de enfermidades transmissíveis por via hídrica, indicada pelas autoridades sanitárias; presença de resíduos ou despejos, sólidos ou líquidos, inclusive esgotos sanitários, óleos, graxas e outras substâncias capazes de oferecer riscos à saúde ou tornar desagradável a recreação; pH < 6,0 ou pH > 9,0 (águas doces), à exceção das condições naturais; floração de algas ou outros organismos, até que se comprove que não oferecem riscos à saúde humana.

A constatação da presença de coliformes fecais em um corpo d’água destinado à balneabilidade, acima dos limites estabelecidos pela legislação, traz um grande risco de banhistas contraírem doenças de veiculação hídrica, tanto pelo contato com a pele como pela ingestão. Entre estas doenças estão a poliomielite, cólera, hepatite, febre tifoide, gastroenterite e doenças de pele.

Desde o início das campanhas de balneabilidade realizadas pela Sema, as comunidades de São Gonçalo (2007) e Bonsucesso (2003) apresentam classificação imprópria para recreação de contato primário. A praia do Rio Paraguai, em Barra do Bugres, também já tinha sido classificada como imprópria em 2017 e 2018.

Em Cáceres, o córrego Piraputanga apresentou valor elevado de Escherichia coli na maioria dos dias coletados e na praia da Carne Seca, há presença de dragas, motivo pelo qual as águas dos dois locais foram consideradas como impróprias.

Os corpos d’água destinados à balneabilidade tem a condição avaliada nas categorias própria e imprópria, baseada no conjunto de amostras obtidas em cada uma das cinco coletas realizadas no mesmo local e em dias diferentes.

A campanha de balneabilidade abrange os municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Chapada dos Guimarães, Santo Antônio, Barra do Bugres, Rosário Oeste, Nortelândia, Barra do Garças e Cáceres.

Foram considerados como excelente: Rio Claro (Cuiabá); Passagem da Conceição (Várzea Grande); Lago de Manso – Marina do Altair (Chapada dos Guimarães); Salgadeira (Chapada dos Guimarães); Praia das Embaúbas (Rosário Oeste); Arara – Rio Garças (Barra do Garças); Rio Araguaia – Praia Primavera (Barra do Garças); Cachoeira do Pé da Serra – Parque Serra Azul (Barra do Garças); Praia do Iate Clube (Cáceres); Praia do Julião (Cáceres).

Entre os de classificação muito boa estão: Ponte de Ferro (Cuiabá); Balneário Soberbo – Coxipó Açú (Cuiabá); Cachoeirinha (Chapada dos Guimarães); Praia Nortefly – Rio Santana (Nortelândia); Cachoeira da Porteira – Parque Serra Azul (Barra do Garças).

Já os satisfatórios são: Comunidade Coxipó do Ouro (Cuiabá); Mutuca (Cuiabá); Praia de Santo Antônio (Santo Antônio); Praia das Veredas (Santo Antônio); Cachoeira da Martinha (Chapada dos Guimarães); Cachoeira dos Namorados (Chapada dos Guimarães), Praia do Daveron (Cáceres).

O relatório esclarece que “A utilização da água para fins recreativos é muito comum em Mato Grosso, principalmente nos rios próximos às cidades e onde ocorre a formação de praias na época da seca. Por esse motivo, torna-se relevante conhecer a qualidade da água para garantir a conservação dos recursos hídricos e a proteção da saúde da população”.

A publicação do Boletim de Balneabilidade tem como objetivo constatar os efeitos decorrentes das descargas de poluição, estabelecer a qualidade atual das águas e classifica-las conforme os padrões e critérios de balneabilidade determinados pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), por meio da Resolução nº 274/2000, fornecer subsídios para atuação das prefeituras e órgãos de fiscalização, possibilitar sinalização dos locais e advertir a população quando for necessário.

Este ano, um novo local de coleta foi introduzido no limite entre os municípios de Cuiabá e Chapada dos Guimarães, no Complexo Turístico da Salgadeira. Já quatro locais foram excluídos – Praia do Pari (Cuiabá), Rio Bugre (Barra do Bugres); Rio Paraguai – Usina (Diamantino); Rio Paraguai – Catira (Alto Paraguai). Entre os motivos da exclusão estão falta de acessibilidade ao ponto de coleta, local não apresentar segurança para os servidores designados para a coleta ou ainda não serem mais frequentados por banhistas.