Cuiabá - MT | Quinta-Feira, 17 de Junho de 2021

Criança de 7 anos está desaparecida há quatro dias em Mato Grosso; família pede ajuda

Criança de 7 anos está desaparecida há quatro dias em Mato Grosso; família pede ajuda

A família de Samuel Victor da Silva Gomes Carvalho, de apenas 7 anos, que está desaparecido há quatro dias, foi à Câmara de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, para pedir ajuda para encontrar a criança. Os parentes e amigos participaram da sessão ordinária na quarta-feira (23), e solicitaram apoio aos vereadores.

Lucineide Pinto da Silva Blass, avó da criança, fez um discurso na plenária e pediu para que os vereadores ajudassem nas investigações.

A Polícia Civil está investigando o sumiço do garoto. Imagens das câmeras de segurança de comércios do Bairro Jardim Iguassu, foram solicitadas pela polícia nessa quarta-feira.

“Eu não estou comendo, porque comia com ele, pois ele precisava de mim para comer. Está difícil já fazem quatro dias, então eu resolvi vim aqui pedir ajuda aos nossos governantes”, declarou a avó.

Na Câmara, os vereadores assinaram um documento para solicitar reforços nas investigações. Segundo eles, a intenção é enviar o documento para o secretário de segurança do estado, Alexandre Bustamante, para o diretor da Polícia Civil e para o Comando Geral da Polícia Militar pedindo que reforcem o trabalho de buscas pelo Samuel.

delegada Karla Cristina Peixoto Ferraz, da Polícia Civil de Rondonópolis

Investigação

A delegada Karla Cristina Peixoto Ferraz, responsável pelo caso,  explicou que o objetivo é tentar refazer a rota por onde o menino passou.

“Visitamos vários locais por onde ele poderia ter passado para saber se alguém o viu andando pela região. Continuamos com as investigações e só vamos parar quando encontrarmos”, disse Karla Cristina.

A Polícia  Judiciária Civil informou que ainda não há informações sobre o desaparecimento do menino e, por isso, não descarta nenhuma linha de investigação.

Caso

Samuel Victor desapareceu quando estava na casa da avó, no Bairro Jardim Iguassu, quando pulou o portão da residência e desapareceu.

Segundo a avó, Lucineide Pinto da Silva Blass, o neto estaria no quarto pois ele pediu arroz-doce à ela e, enquanto ela preparava a sobremesa. Quando ela foi até o cômodo, ele não estava lá. Ela notou o desaparecimento do neto por volta de 14 horas.

Lucineide contou que o neto tem hiperatividade, e que é possível que ele pulou o portão da residência quando ninguém estava olhando e se perdeu pelas ruas do bairro.

Um boletim de ocorrência foi registrado pela a avó. Além da Polícia Civil, a família e amigos estão mobilizados e procurando a criança pela cidade.