Cuiabá - MT | Sábado, 08 de Maio de 2021

Em jogo com muito VAR, Corinthians bate Vasco em Itaquera

Em jogo com muito VAR, Corinthians bate Vasco em Itaquera

Corinthians x Vasco (Foto: Marcos Ribolli)

Recuperando-se da eliminação nas semifinais da Copa Sul-Americana, o Corinthians venceu o Vasco por 1 a 0 na manhã deste domingo, em Itaquera, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, com gol de Ralf, aos 13 minutos do segundo tempo. O jogo foi morno, com muitos passes errados, e acabou sendo marcado pelo VAR por conta da anulação de três gols – dois do Corinthians e um do Vasco. Na opinião do comentarista Sálvio Spínola, as decisões do VAR foram acertadas, mas ele criticou a demora na resolução da primeira jogada (quase cinco minutos para anular o gol do Corinthians, por falta de Manoel em Fernando Miguel) e disse que o lance era fácil e não precisava do recurso de vídeo. Com o resultado, o Timão assume a quarta posição com 38 pontos, mas podendo ainda ser ultrapassado pelo Inter (36) na rodada. Já o Vasco, com 24 pontos, está em 13º, mas ainda pode perder posição para Ceará e Fortaleza.

Olha o VAR aí

Mais um daqueles lances inacreditáveis de tanta demora para se enxergar o óbvio: aos 9 minutos, Manoel fez falta no goleiro Fernando Miguel, a bola bateu em Ribamar e entrou. A falta foi tão gritante que nem os jogadores do Corinthians comemoraram muito o gol, constrangidos – o próprio Manoel não reclamou. Ainda assim, o árbitro Ricardo Marques Ribeiro levou quase cinco minutos para decidir pela anulação do gol, com o auxílio da equipe do VAR, comandada por Daniel Nobre Bins (RS) – o comentarista Sálvio Spínola disse que o lance era fácil e nem precisava do recurso de vídeo. Não deu tempo de ouvir “Faroeste Caboclo”, da Legião Urbana. Mas foi por pouco.

Mais VAR

O Vasco teve um gol anulado aos 5 minutos do segundo tempo: Werley marcou, completando cruzamento em cobrança de falta de Danilo Barcelos, e, num primeiro momento, a arbitragem validou o gol, mas depois anulou com auxílio do VAR. Na opinião do comentarista Sálvio Spinola, a decisão de anular foi correta.

VAR até nos acréscimos

Quando o Vasco mais pressionava, um contra-ataque deu ao Corinthians o segundo gol, marcado por Jadson, aos 51 minutos da etapa final. A Fiel comemorou aliviada. Mas aí o VAR checou o lance e constatou (de forma acertada) que houve impedimento de Mateus Vital na origem da jogada.

Como jogou o Corinthians

O Corinthians começou com a mesma formação dos últimos jogos no meio-campo, com Sornoza na armação. Um dos destaques do primeiro tempo, o equatoriano cobrou falta que terminou em gol após desvio em Ribamar. O lance, porém, foi anulado. Pedrinho e Ramiro se revezaram entre a ponta direita e o meio. Com Ramiro apagado, Fábio Carille optou por Jadson no intervalo. Mas foi dos pés de Ralf o gol do Timão na Arena. Boselli fez bem o pivô e achou o camisa 15 na entrada da grande área, que bateu forte, no canto esquerdo de Fernando Miguel, e abriu o placar. Mateus Vital e Gustagol ainda entraram na etapa final. O centroavante, inclusive, desperdiçou ótima chance nos minutos finais.Fábio Carille em Corinthians x Vasco

Fábio Carille em Corinthians x Vasco (Foto: Marcos Ribolli)

Como jogou o Vasco

O Vasco teve um primeiro tempo equilibrado com destaque para o setor de marcação. O volante Bruno Gomes, de 18 anos, não sentiu a pressão da estreia e mostrou estar preparado para ajudar nos profissionais. A grande dificuldade, mais uma vez, foi na criação das jogadas. Ribamar. O time voltou melhor no segundo tempo e chegou a fazer um gol bem anulado. Logo em seguida, foi penalizado com um gol, que determinou o resultado do jogo.

Vanderlei Luxemburgo em Corinthians x Vasco

Vanderlei Luxemburgo em Corinthians x Vasco (Foto: Marcos Ribolli)

Primeiro tempo

Uma etapa inicial sem muita emoção. O Corinthians até tentou começar trocando mais passes, tomando a iniciativa, mas não encontrou espaços na marcação do Vasco, sempre tentando apertar a saída de jogo, e aí começou o festival de passes errados de ambas equipes (15 de cada lado). Em cobrança de falta de Sornoza na área, o Timão até abriu o placar na lambança do goleiro Fernando Miguel, aos 10 minutos de jogo, mas o árbitro Ricardo Marques Ribeiro (depois de 5 minutos de revisão no VAR) marcou falta de Manoel e anulou. Único destaque do primeiro tempo aliás, o meia equatoriano também criou uma boa jogada para Pedrinho, que dominou com categoria, mas na finalização deu no colo do goleiro vascaíno. Do lado vascaíno, finalizações sem direção de Ribamar, que não levaram perigo para Cássio.

Segundo tempo

As melhores chances continuaram saindo em lances de bola parada. Foi assim que o Vasco marcou seu gol, aos 5, em lance que acabou sendo anulado pelo VAR – Werley estava em posição de impedimento. Carille, então, mexeu no Corinthians – colocou Mateus Vital na vaga de Sornoza aos 12. Coincidentemente, o gol saiu no minuto seguinte, com Ralf em jogada com Boselli. O Vasco se enervou com as marcações do árbitro Ricardo Marques Ribeiro, e Vanderlei Luxemburgo mexeu no time aos 25, colocando Clayson e Marquinho nos lugares de Rossi e Marcos Júnior. A equipe melhorou, passou a ter mais volume e ofereceu perigo ao gol de Cássio, e quase empatou nos acréscimos. Acabou levando um segundo gol, de Jadson, anulado pelo VAR por impedimento de Mateus Vital. O jogo foi até o minuto 58, com o Vasco inteiro na área do Corinthians, que acabou conseguindo se safar.

Ralf, em Corinthians x Vasco

Ralf, em Corinthians x Vasco (Foto: Marcos Ribolli)

Agenda

Os dois times voltam a jogar na quarta-feira, às 19h15 (de Brasília), em jogos atrasados da 21ª rodada do Campeonato Brasileiro: o Vasco encara o Atlético-MG em Belo Horizonte, e o Corinthians pega a Chapecoense em Chapecó. (Globo Esporte)