Cuiabá - MT | Sexta-Feira, 22 de Outubro de 2021

Jesus vibra com oitava vitória seguida e explica gesto em libras: “Flamengo, I love you”

Jesus vibra com oitava vitória seguida e explica gesto em libras: “Flamengo, I love you”

Foto: André Durão

O Flamengo venceu o Internacional por 3 a 1, nesta quarta-feira, no Maracanã, manteve a vantagem na liderança e o 100% de aproveitamento como mandante. Gabigol, Arrascaeta e Bruno Henrique fizeram os gols do Rubro-Negro, que teve a missão facilitada pelo fato de o Colorado ter dois expulsos: Bruno e Guerrero. Jorge Jesus se mostrou satisfeito com a oitava vitória seguida no Brasileiro, um recorde para o clube.

Depois do jogo, o técnico foi até uma câmera e fez um gesto em libras como forma de homenager os surdos-mudos.

– Quis homenagear os surdos-mudos. Me ensinaram alguns gestos e ensinaram Flamengo, como um todo, “I love you” – afirmou.

O português disse que o Fla ainda tem possibilidade de crescer, apesar de a maratona de jogos complicar. Apesar da boa fase e da vantagem na liderança, ele afirmou que o campeonato ainda está longe de estar decidido.

– Jogamos com o objetivo de ganhar, seja contra quem for. Conseguimos a oitava seguida. O Flamengo ainda tem muito a crescer, estou há apenas três meses e pouco. Podemos melhorar. Apesar deste ciclo agora não haver muito tempo para trabalhar variantes. Agora é mais recuperar. No segundo tempo, tirando o Arão, que foi uma opção tática, já fiz substituições para dar descanso ao Arrascaeta e Gabigol. Ainda falta muito campeonato até a decisão final e há várias equipes atrás de nós que querem tirar nossa posição. Vamos tentar defender com qualidade, experiência e capacidade emocional – disse Jesus.

Jesus comentou sobre o fato de o Flamengo ter levado um gol depois de estar com dois jogadores a mais.

– As facilidade se tornam dificuldades. Jogar contra 9 é mais fácil, mas os jogadores têm a tendência de facilitar quanto acham que o jogo se torna mais fácil. Levamos o gol. A partir do segundo e terceiro ficou mais fácil.

Líder, o Fla chegou a 48 pontos no Campeonato Brasileiro. O Inter mantém provisoriamente o quarto lugar com 36 pontos. O Rubro-Negro enfrenta o São Paulo no próximo sábado, às 19h, no Maracanã.

Outros trechos da entrevista de Jorge Jesus:

Lição pelo gol sofrido

A equipe não baixou o ritmo. O problema quando há uma expulsão é que isso nunca facilita o ataque. A equipe joga em uma linha defensiva e não sai. São os mesmos que defendem e o que altera é que ele não sai para o ataque. Sofremos um gol que a bola bateu na cara do Gerson. Antes houve situações em que podíamos fazer melhor, mas jogadores experientes não quiseram fazer a falta.

Dificuldade de manter a liderança

É interessante a pergunta se é mais difícil tirar a diferença ou manter o primeiro lugar. As duas são difíceis. Foi difícil chegar e agora é difícil manter. Uma coisa está ligada a outra. Temos adversários fortes como Palmeiras, Santos, Corinthians, São Paulo, que perdeu, mas é uma grande equipe. O mais difícil agora é defender até acabar.

O Gabriel é essa coisa da paixão. Eles gostam da forma como festeja os gols, a forma como aparece nos jogos, o cabelo. A torcida tenta imitá-lo e isso é muito bom. É um sinal de amor e paixão. Como digo, vocês sabem valorizar a beleza e a paixão que colocam nos jogos. É impressionante e apaixonante.

Jovens da base

Estamos tentando o Reinier. Temos jogadores da base que vão acrescentar no futuro. Tem um menino que vai se revelar um excelente jogador que é o Vinicius. Está aprendendo, não é fácil a esta altura do campeonato lançar vários jovens ao mesmo tempo. Mas o Flamengo tem uma base com muita qualidade.

Capacidade de furar retranca do Inter

A equipe do Inter com as expulsões ficou mais fragilizada. O torcedor tentou ajustar a linha de quatro jogadores ali, sem capacidade de saída, mas que defendeu bem e tem grandes jogadores. Nos últimos jogos enfrentamos o Inter, que está no G4, o Palmeiras, o Santos… Clubes que estão entre os primeiros e até agora estamos vencendo.

Equilíbrio psicológico da equipe

O equilíbrio mental é muito importante. Temos que ter o emocional muito forte. Quando as coisas correm bem, é fácil. Difícil é quando as coisas não estão bem. Gosto muito do Guerrero, mas ele não pode fazer o que fez hoje. Facilitou e tirou a equipe dele do jogo. Nós também colocamos água na fervura, tentamos acalmar nossos jogadores. Existem situações que poderíamos ter evitado, mas fizemos o que devíamos fazer.

Desgaste em maratona de jogos

As grandes equipes têm este problema. Estão inseridas em todas as competições e querem ganhar. Não é nada novo para mim e só tem duas hipóteses. Modificar a equipe ou jogar tudo, coloca a carne toda no assador, como dizemos em Portugal. E é o que estamos fazendo. Temos que aproveitar os dias para recuperar com apoio da equipe fisiológica e clínica.

Falta de treinos

Neste momento, é na base do papo. Hoje é quarta, quinta quem jogou só faz recuperação passiva, sexta a mesma coisa, e sábado jogo. Portanto, é questão de trabalhar em cima de conversas e imagens do próprio jogo para melhorar coisas que não fizemos tão bem.

Jogo com o Grêmio

Jogamos sábado e teremos mais um dia de descanso. O Grêmio vai poupe jogadores, não faremos isso, mas vamos para frente. Acreditamos muito no que a equipe é capaz de fazer. Nossos atletas não estão dando sinais de fadiga. Tive a oportunidade de poupar alguns jogadores no jogo de hoje. Não vou poupar ninguém por causa do jogo do Grêmio. Quem tiver condição, vai jogar.

Ofensividade

Temos um jogo com as características dos jogadores. Não só são rápidos, mas também tecnicamente evoluídos. Procuramos colocar uma ideia de jogo da equipe que vá ao encontro das características destes jogadores. É um time que sempre faz gol.

Gerson

É um jogador que tem características que qualquer jogador gosta com e sem bola. Joga bem em qualquer posição, até de centroavante. Jogar de primeiro volante não é algo desconhecido para ele. (Globo Esporte)