Cuiabá - MT | Quinta-Feira, 17 de Junho de 2021

Com golaço no fim, Athletico bate o Inter e ganha a Copa do Brasil pela primeira vez

Com golaço no fim, Athletico bate o Inter e ganha a Copa do Brasil pela primeira vez

Festa do Athletico-PR no título da Copa do Brasil (Foto: BP Filmes)

Campeão brasileiro, campeão da Copa Sul-Americana… e agora campeão da Copa do Brasil! Seis anos após bater na trave e perder na final, o Athletico-PR voltou a vencer o Internacional na decisão de 2019 e concretizou seu nome entre os vencedores do futebol nacional. No Beira-Rio, Léo Cittadini abriu o placar, Nico López empatou e Rony deu números finais aos 51 do segundo tempo após jogada espetacular de Marcelo Cirino: 2 a 1 e mais uma taça da era Tiago Nunes no Furacão!

O Athletico-PR se tornou o 12º clube a conquistar a Copa do Brasil. É a primeira vez que uma equipe paranaense leva o título da competição.

Primeiro tempo

O Internacional, que precisava vencer por dois gols para conquistar o título sem precisar de pênaltis, começou o jogo pressionando dentro de casa. A posse de bola superior, no entanto, não foi traduzida em chances reais. Em boa troca de passes no ataque, foi o Athletico quem abriu o placar: Rony acionou Marco Ruben, que tocou para o meio e viu Léo Cittadini deslocar Marcelo Lomba. Na insistência nas bolas altas, os colorados empataram com Nico López após bate-rebate na área e bola na trave de Rodrigo Lindoso. Tudo igual na ida para o intervalo…

Segundo tempo

Odair Hellmann voltou com Rafael Sobis na vaga de Patrick, mas o Internacional seguiu sem levar grande perigo para Santos. Nonato entrou na vaga de Bruno e fez com que Edenílson fosse para a lateral, e Guilherme Parede ainda substituiu Wellington Silva, mas nada surtiu efeito. Tiago Nunes colocou Madson, Lucho e Cirino na etapa final, e o Athletico soube se portar, com tranquilidade para administrar o resultado acumulado favorável. No fim, o Furacão ainda fechou com chave de ouro no Beira-Rio…

O capitão ergue a taça!

O volante Wellington foi o responsável pelo momento apoteótico no gramado do Beira-Rio. Thiago Heleno, antes capitão mas suspenso por doping, participou da festa ao lado de elenco e comissão técnica.

Toda final merece um gol assim

O último gol do jogo vale um destaque à parte. Quando tudo caminhava para um empate que já daria o título ao Athletico-PR, Marcelo Cirino recebeu de Bruno Guimarães na ponta esquerda. Ele deu a entender que prenderia a bola, mas fez muito além: se esquivou de marcação dupla aplicando lindo drible de letra entre as pernas de Edenílson, ainda passou por Rodrigo Lindoso e encontrou Rony dentro da área. O camisa 7, destaque do Furacão na partida, teve o trabalho de tirar de Marcelo Lomba para decretar o 2 a 1.

TIMES

Internacional-RS – Marcelo Lomba; Bruno (Nonato), Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenílson, Patrick (Rafael Sóbis), Wellington Silva (Guilherme Parede) e Nico López;
Paolo Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.

Athletico -PR – Santos; Khellven (Madson), Robson Bambu, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Léo Cittadini (Lucho González); Nikão, Rony e Marco Ruben (Marcelo Cirino). Técnico: Tiago Nunes.

Gols
Internacional-RS: Nico López 30′ 1T
Athletico -PR: Léo Cittadini 23′ 1T, Rony 51′ 2T

Árbitro
Wilton Pereira Sampaio (GO)

Assistentes
Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Bruno Raphael Pires (GO)

Renda
R$ 2.742.150

Público
50.355 torcedores

(Globo Esporte)