CUIABANO NEWS
Home Política Economia & Agro Cotidiano & Polícia Esportes Variedades Opinião & Artigos Vida & Estilo MT


Selma rebate parecer de Dodge e desconfia de “encomenda”



Inserido em: 11/09/2019 15:35:08

juiza-selma-arruda-ccj.jpg

Pedro França/Agência Senado

A senadora Selma Arruda (PSL) rebateu o parecer da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que defende a realização de nova eleição o seu cargo caso ela seja cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ainda suspeita que o parecer de Dodge já estava pronto “por encomenda”.

“Há sério indicativo de que o parecer já se encontrava pronto, por encomenda, ou que a Procurada Geral da República, Raquel Dodge, não tivesse mais nada a fazer, únicas hipóteses que justificariam tal concomitância”.

Selma sustenta a sua tese com base em que autos foram ao Ministério Público Federal na terça-feira (10), mesma data em que foi exarado o parecer de Dodge.

 “A PGR tão somente manifestou-se nos mesmos termos do que foi decido pelo TRE-MT, no sentido de que o acórdão, se mantido, deve ser executado após o julgamento no TSE, independentemente da interposição de outros recursos”, explica.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu, em parecer publicado nesta terça-feira (10) que novas eleições sejam realizadas caso o TSE mantenha a cassação por caixa 2 e abuso de poder econômico. O terceiro colocado na disputa pelo Senado, ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD), tenta assumir a vaga imediatamente caso a cassação seja concretizada.

A senadora está tentando desde que foi cassada por unanimidade pelo TRE em abril, se manter no cargo com um recurso no TSE. O ministro Og Fernades, relator do recurso de Selma irá examinar o pedido de sua defesa e o parecer de Dodge.

Selma Arruda, eleita como a candidata mais votada em 2018, com quase 700 mil votos, foi cassada por unanimidade após pouco mais de dois meses no mandato, pelo TRE. Ela está sendo acusada de omitir da Justiça uma despesa de R$ 1,2 milhão durante a campanha sua, o que configura abuso de poder econômico e caixa 2.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+A -A
scroll to top