Cuiabá - MT | Sábado, 12 de Junho de 2021

Gilmar Fabris perde recurso no TSE e não “descongela” votos para assumir vaga na AL MT

Gilmar Fabris perde recurso no TSE e não “descongela” votos para assumir vaga na AL MT

Pela decisão, aparentemente são 22.913 votos conquistados pelo deputado estadual Gilmar Donizete Fabris (DEM)  jogados na latrina, em Mato Grosso.

Ministra Rosa Weber, presidente do TSE (Foto: Agência Brasil)

A ministra Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou seguimento no dia 23 de agosto a recurso extraordinário de Gilmar Fabris, que buscava “descongelar” os votos obtidos nas eleições 2018, autorizando diplomação.

Acordão do próprio TSE negou registro de candidatura em discussão anterior. Ao negar o recurso extraordinário, Rosa Weber afirmou que a decisão do colegiado segue jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF).

Fabris foi condenado em ação penal a 6 anos e 8 meses de prisão por desvio de R$ 1,5 milhão quando era presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT).

Ele havia obtido decisão liminar na Justiça Estadual para suspender a condenação e participar da eleição, matéria que foi revogada pelo próprio Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).

Em consequência da condenação, o Ministério Público Eleitoral impugnou a candidatura de Fabris e o Tribunal Regional Eleitoral negou o pedido de registro. Assim, Allan Kardec (PDT) herdou a vaga na Casa de Leis.

Atualmente Allan Kardec ocupa o cargo de Secretário de Estado de Cultura e Esportes, na gestão do governador  Mauro Mendes. E, por conta disso, o deputado Romoaldo Júnior exerce o mandato, na vaga de Kardec.