CUIABANO NEWS
Home Política Economia & Agro Cotidiano & Polícia Esportes Variedades Opinião & Artigos Vida & Estilo MT

Confusão, choro, ameaça de motim e tumulto na PCE; veja fotos e vídeo

JÉSSICA MOREIRA

Clima-de-tensão-na-maior-Penitenciária-Central-Estadual-de-Mato-Grosso-risco-de-motim-SOE-Serviço-de-Operações-Especiais-Penitenciárias-88-2.jpg

A operação Agente Elisson Douglas foi deflagrada na manhã desta terça-feira (13) após a divulgação de uma nota do Diretor da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá. A operação que visa reforçar as revistas e “eliminar” regalias dos presos.

A operação é realizada pelos agentes penitenciários. O foco é colocar um limite no uso de aparelhos eletrônicos e ainda ficar atento a qualquer movimento “ameaçado” por parte dos presos. O nome da operação se dá a um agente assassinado a mando de presos.

Leia Também:
Clima de tensão na maior  Penitenciária Central de Mato Grosso; risco de motim

O sindicato dos servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT), emitiu uma nota de esclarecimento da operação. “O que está sendo revisto é evitar que estas unidades que foram criadas aumentem a lotação, sendo que a retirada desses materiais ajudará a ter um ambiente mais arejado e com mais de ventilação”, consta trecho da nota divulgada.

Houve tumulto na porta da penitenciaria e muita gritaria dos familiares dos presos, pois era dia de visita na unidade.

Veja no vídeo abaixo.

 

Veja nota 

Tendo em vista a Operação Agente Elison Douglas, deflagrada na noite de ontem (13), na PCE, a Presidente em substituição do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT), Jacira Maria da Costa Silva, esclarece que:

A operação é um pedido dos servidores do sistema penitenciário, por meio do sindicato á Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp-MT), tendo em vista o crescimento do crime organizado dentro de unidades penais, que culminou no assassinato do agente penitenciário de Lucas do Rio Verde, Elison Douglas no mês de maio.

A operação tem como foco diminuir as regalias dentro dos presídios e restringir a quantidade de produtos dentro das unidades prisionais, ou seja, a quantidade de materiais em excesso que gera superlotação no ambiente. “Precisamos diminuir os excessos, mas respeitaremos os direitos deles”, frisa a presidente.

O que está sendo revisto é evitar que estas unidades que foram criadas aumentem a lotação, sendo que a retirada desses materiais ajudará a ter um ambiente mais arejado e com mais de ventilação.

A presidente agradece aos guerreiros que estão imbuídos nesse momento no front dessa missão. “Temos muita satisfação em ver que hoje os servidores estão capacitados e podem estar fazendo esse trabalho com profissionalismo e dentro da legalidade, é uma honra para nós dentro, das forças da segurança pública, dar uma resposta à sociedade que pode dormir tranquila.

A operação sob o comando do agente penitenciário e atual diretor da unidade, Agno Santana, profissional extremamente qualificado, que já foi diretor em Rondonópolis e hoje coordena o Grupo de Intervenção Rápida (GIR), sendo considerado dentro do meio operacional, o ícone do Sistema Penitenciário Mato-grossense. “Agradecemos a toda dedicação e compromisso que o Agno tem demonstrado em toda sua vida funcional”.

Essa operação foi batizada em homenagem ao Elison Douglas e a Penitenciária Central foi à escolhida como piloto dessa operação por ela ser o coração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso. “Esse nome nos lembra a retidão e dignidade que o Douglas sentia ao vestir sua farda para ir trabalhar, sendo que esta também é uma forma de homenagear e honrar sua memoria pelos bons exemplos que deixou e nos orgulha seguir”, finaliza.

Release da Comunicação do Governo

A Secretaria de Estado de Segurança Pública, por meio da Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária, iniciou nesta terça-feira (13.08) uma operação intensiva de revista geral na carceragem da Penitenciária Central do estado, localizada em Cuiabá, com o objetivo de fortalecer as ações de enfrentamento a crimes que possam ser cometidos dentro da unidade penal, além de se antecipar a possíveis atos delituosos.

A operação teve início às 9 horas desta terça-feira com revista minuciosa em todos os raios e celas da unidade prisional. Serão verificadas também as condições estruturais da área da carceragem e feita a retirada de produtos que estão em desconformidade com o estabelecido no Manual de Procedimento Operacional Padrão do Sistema Penitenciário. Após a revista geral será iniciada a reforma nas celas dos raios 1,2,3 e 4.

A operação é conduzida pela equipe da direção da penitenciária e conta com apoio de servidores de outras unidades qualificados para atuação em recinto carcerário, como contenção e intervenção.

“Nosso objetivo maior é garantir a segurança da unidade, de acordo com a legalidade devida, frustrando qualquer tentativa que possa afetar a segurança da unidade prisional e criar oportunidades de prática delituosa”, destacou o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Durante esta semana estão suspensas as visitas aos reeducandos, assim como o atendimento a advogados e defensores públicos. Apenas as escoltas emergenciais, em caso de saúde, serão realizadas.

A secretaria esclarece ainda que não houve intercorrência nas atividades de revista e tampouco foram registradas agressões ou morte.

Não há, por enquanto, registro de apreensão de materiais ilícitos, como celulares e entorpecentes. Um balanço parcial do que foi retirado das celas será divulgado posteriormente.

A operação é realizada apenas na Penitenciária Central do Estado, não sendo estendida e nenhuma outra unidade no interior ou mesmo na Capital.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+A -A
scroll to top